A MARAVILHOSA HISTÓRIA DA MÃE DO BOM CONSELHO

A maravilhosa história da Mãe do Bom Conselho.jpg

Envolta numa luminosa nuvem, a imagem da Mãe do Bom Conselho translada-se da Albânia para a cidade de Genazzano (Itália), dando início a um ininterrupto desfilar de milagres e graças.

Nas longínquas terras da Albânia, para além do Mar Adriático, encontra-se a pequenina cidade de Scútari. Edificada em uma colina escarpada e tendo a seus pés os rios Drina e Bojana, ela continha em seus domínios, já no século XIII, um precioso tesouro: a bela imagem de “Santa Maria de Scútari”.

Jorge Castriota, Scanderbeg. Estátua que se encontra na “Piazza Scanderbeg”, em Roma

O Santuário que a abrigava se transformara no centro de peregrinação mais concorrido do país, e era para os albaneses um importante ponto de referência em matéria de graças e conforto espiritual. Trata-se de uma pintura sobre fina camada de reboco, medindo 31 cm de largura por 42,5 cm de altura. Esse sagrado afresco está envolto numa penumbra de mistério e milagre: ignora-se quando e por quem foi pintado.

Intimidade e união de alma

Detenhamo-nos um pouco na contemplação desta maravilhosa pintura.
Ela representa a Santíssima Virgem com inefável afeto materno, amparando em seus braços o Menino Jesus, ambos encimados por um singelo arco-íris. As cores são suaves, e finos os traços dos admiráveis semblantes.

O Menino Jesus transmite a candura de uma criança e a sabedoria de quem analisa toda a obra da criação e é o Senhor do passado, do presente e do futuro. Com indizível carinho, o Divino Infante pressiona levemente sua face contra a de sua Mãe. Há entre eles uma atraente intimidade, e a união de almas bem se vê refletida na troca de olhares. Nossa Senhora, em altíssimo ato de adoração, parece estar procurando adivinhar o que se passa no interior do Filho. Ao mesmo tempo, Ela considera o fiel aflito ajoelhado a seus pés, e de algum modo o faz partícipe do celestial convívio que contemplamos neste quadro. Não será preciso dizer, basta o devoto necessitado acercar-se d’Ela para sentir operar-se em sua alma uma ação balsâmica.

Scanderbeg, varão Providencial

Em meados do século XIV, a Albânia passava por grandes aflições. Após ser disputada durante séculos pelos povos vizinhos, ela estava então sendo invadida pelo poderoso império turco.

Não dispondo de estrutura militar capaz de resistir ao poderoso adversário, o povo aflito rezava, confiando no auxílio dos céus. O efeito dessas orações não se fez esperar: nessa emergência, surgiu um varão de Deus, de nobre linhagem e devotíssimo de Nossa Senhora, decidido a lutar pela Padroeira e pela liberdade de seu país. Seu nome é Jorge Castriota, chamado em albanês de Scanderbeg.

À custa de imensos esforços bélicos, conseguiu ele manter a unidade e a Fé de seu povo. As crônicas da época exaltam as façanhas realizadas por ele e pelos valorosos albaneses que, estimulados por seu ardor, lutavam a seu lado.

Nos intervalos dos combates, eles ajoelhavam-se suplicantes aos pés de “Santa Maria de Scútari”, de onde saíam fortalecidos e obtinham portentosas e decisivas vitórias contra o inimigo da Fé. Aí já reluzia uma característica d’Aquela que futuramente seria conhecida em todo o mundo como a Mãe do Bom Conselho: fortalecer todos quantos, combatendo o bom combate, d’Ela se aproximam buscando alento e coragem.

Entretanto… após 23 anos de lutas, Scanderbeg é levado desta vida. A falta daquele piedoso líder era irreparável.

Todos pressentiam estar próxima a derrota. O povo encontrava-se na trágica alternativa de abandonar a pátria ou sujeitar-se à escravidão aos turcos.

Envolta em luminosa nuvem

Georgis e De Sclavis caminham sobre o
Mar Adriático, guiados pela própria
“Estrela do Mar”

Nessa perplexitante situação, a Virgem do afresco aparece em sonhos a dois dos valentes soldados de Scanderbeg, chamados Georgis e De Sclavis, ordenando-lhes que A seguissem em uma longa viagem. Ela lhes inspirava uma grande confiança, e estar ajoelhados a seus pés era para eles motivo de grande consolação.
Certa manhã, lá estando ambos em fervorosa oração, vêem o maior milagre de suas vidas.
O maravilhoso afresco se desprende da parede e, conduzido por anjos, envolto em alva e luminosa nuvem, suavemente vai se retirando do recinto. Bem podemos imaginar a reação dos bons homens! Atônitos, acompanham Nossa Senhora que avança pelos céus de Scútari. Quando se dão conta, estão às margens do Mar Adriático. Haviam percorrido trinta quilômetros sem sentir cansaço! Sempre envolta na alva nuvem, a milagrosa imagem avança mar adentro.

Perplexos, Georgis e De Sclavis não querem deixá-la por nada. Verificam, então, estupefatos e eufóricos, que sob seus pés as águas se transformam em sólidos diamantes, voltando ao estado líquido após sua passagem. Que milagre! Tal como São Pedro sobre o lago de Genezaré, estes dois homens caminham sobre o Mar Adriático, guiados pela própria “Estrela do Mar”.

Sem saber dizer durante quanto tempo andaram, nem quantos quilômetros deixaram para trás, os bons devotos vêem novas praias. Estavam na Península Itálica! E por sinal… onde está a Santa Maria de Scútari? Olham para um lado… olham para outro. Escutam falar outro idioma, sentem um ambiente tão diferente da sua Albânia…

Mas já não veem a Senhora da luminosa nuvem. Desaparecera… Que provação! Começam então, uma busca infatigável. Onde estará Ela?

Petruccia, uma mulher de Fé

Nessa mesma época, na pequena cidade de Genazzano, não longe de Roma, vivia uma piedosa viúva chamada Petruccia de Nocera, já octogenária.

Senhora de muita retidão e sólida vida interior, digna terciária da ordem agostiniana, sua herança lhe bastava apenas para viver modicamente.

Era Petruccia muito devota da Mãe do Bom Conselho, venerada numa velha igreja de Genazzano. Esta piedosa senhora recebeu do Espírito Santo a seguinte revelação: “Maria Santíssima, em sua imagem de Scútari, deseja sair da Albânia”. Muito surpresa com essa comunicação sobrenatural, Petruccia assombrou-se mais ainda ao receber da própria Santíssima Virgem expressa ordem de edificar o templo que deveria acolher o seu afresco, bem como a promessa de ser socorrida em tempo oportuno.

Começou, então, Petruccia, a reconstrução da pequena igreja. Empregou todos os seus recursos… os quais acabaram quando as paredes tinham apenas um metro de altura. E ela tornou-se alvo das zombarias e sarcasmos dos céticos habitantes da pequena cidade, que chamavam -na de louca, visionária, imprudente e antiquada. Passou confiante por esta provação, tal como Noé, de quem todos mofavam enquanto ele construía a arca.

“Um milagre! Um milagre!”

Beata Petruccia de Nocera

Era o dia 25 de abril de 1467, festa de São Marcos, padroeiro de Genazzano.

Às duas horas da tarde, Petruccia se dirige à igreja, passando pela movimentada feira na qual os vendedores ofereciam desde tecidos trazidos de Gênova e Veneza até um elixir da eterna juventude ou um “poderosíssimo” licor contra qualquer tipo de febre.
Em meio a este burburinho, o povo ouve uma melodia de rara beleza, vinda do céu. Faz-se silêncio e todos notam que aquela música provinha de uma nuvenzinha branca, tão luminosa que ofuscava os raios do próprio sol. Ela desce gradativamente e se dirige para a parede inacabada de uma capela lateral. A multidão acorre estupefata, enche o pequeno recinto e vê a nuvem desfazer-se.

Ali estava – suspenso no ar, sem nenhum suporte visível – o sagrado afresco, a Senhora do Bom Conselho! “Um milagre! Um milagre!” – gritam todos. Que alegria para Petruccia, quanto consolo para Georgis e De Sclavis quando lá puderam chegar!…
Estava confirmado o superior desígnio da construção iniciada. Teve início, assim, em Genazzano um longo e ininterrupto desfilar de milagres e graças que Nossa Senhora ali dispensa.

O Papa Paulo II, tão logo soube do que havia sucedido, enviou dois prelados de confiança para averiguar o que se passara.
Estes constataram a veracidade do que se dizia e testemunharam, diariamente, inúmeras curas, conversões, e prodígios realizados pela Mãe do Bom Conselho. Nos primeiros 110 dias após a chegada de Nossa Senhora, registraram-se 161 milagres.

Conselho, correção, orientação: grandes favores

Entre seus grandes devotos destacam- se os papas São Pio V, Leão XIII – que incluiu a invocação Mãe do Bom Conselho na Ladainha Lauretana – São Pio X, Paulo VI e João Paulo II; e numerosos santos como São Paulo da Cruz, São João Bosco, Santo Afonso de Ligório, Beato Orione. No próprio Santuário de Genazzano, pode-se venerar o corpo incorrupto do Beato Steffano Bellesini, um de seus párocos, grande propagador da devoção à Mãe do Bom Conselho.

O afresco de Nossa Senhora do Bom Conselho
é trazida por anjos

Também os Arautos do Evangelho são seus devotos. Têm eles muito a agradecer-Lhe, por favores e graças mais importantes do que a cura de doenças corporais.

Os maiores milagres, Ela os opera na alma de cada um, aconselhando, corrigindo, orientando.

Quem puder venerar o milagroso quadro da Mãe do Bom Conselho em Genazzano, comprovará pessoalmente o rio de graças que emana daquela celestial fisionomia e compreenderá por que quem lá esteve uma vez, sonha em retornar um dia àquele sublime convívio.

O afresco de Nossa Senhora do Bom Conselho de Genazzano

Na igreja da Madonna del Buon Consiglio, na pequena e bela cidade de Genazzano, encontra-se um afresco de mais de sete séculos de existência. Até hoje se desconhece onde e por quem foi pintado. Terá sido seu autor um anjo? Será originário do Paraíso? São perguntas ousadas. Compreende-se que elas surjam, quando se conhece a história dos efeitos produzidos por essa piedosíssima imagem, ao longo dos tempos.

O afresco causa a impressão de ter sido pintado há poucos dias, mesmo se observado de perto. Porém, está há 535 anos junto à parede de uma capela lateral da igreja. Mais ainda: segundo atestam os documentos, tem-se mantido suspenso no ar durante todo esse tempo! Foi ele transladado de Scútari, Albânia, a Genazzano por ação angélica.

Assim descreve esses sobrenaturais acontecimentos um dos maiores entendidos na matéria:

“Trazida por mãos angélicas, encontrou-se (a imagem) suspensa ali na rústica parede da nova igreja, e com três novos singularíssimos prodígios então acontecidos. (…) A celeste pintura estava sustentada por virtude divina a um dedo da parece, suspensa sem nala fixar-se; e este é um milagre tanto mais estupendo se considerarmos que a referida imagem está pintada com cores vivas em fina camada de reboco, com a qual se destacou por si mesma da igreja de Scútari, na Albânia; como ainda pelo fato, comprovado mediante experiência e observações feitas, de que, ao tocar-se na Santa Imagem, esta cede” (Frei Angelo Maria De Orgio, Istoriche de Maria Santissima del Buon Consiglio, nela Chiesa de’Padri Agostoniani di Genazzano, 1748, Roma, p. 20) No séc. XIX, renomado estudioso desse celestial fenômeno observou:

Beato Steffano Bellesini, venerado no
próprio Santuário de Genazzano

“Todas essas maravilhas (da Santa Imagem) se resumem, enfim, no prodígio contínuo que consiste em encontrarmos hoje esta imagem no mesmo lugar e do mesmo modo como ela aí foi deixada pela nuvem no dia de sua aparição, na presença de todo um povo que teve então a felicidade de vê-la pela primeira vez. Ela pousou a uma pequena altura do chão, a uma distância de aproximadamente um dedo da parede nova e rústica da capela de São Brás, e ali ficou, suspensa sem nenhum suporte” (Raffaele Buonanno, Memorie Storiche della Immagine de Maria, SS. Del Buon Consiglio Che si venera in Genezzano, Tipografia dell’Immacolata, Napoles, 20 ed., 1880, p. 44).

Na festa do batismo de Santo Agostinho e de São Marcos, padroeiro de Genazzano, em 25 de abril de 1467, por volta das quatro horas da tarde, uma celestial melodia começa a se fazer ouvir pelos mais variados recantos da cidade. Um grande número de pessoas, reunidas na praça do mercado, se põem a indagar maravilhadas de onde vem os sublimes e arrebatadores acordes. Eis que uma divina surpresa se passa ante os olhos de todos: em meio a raios de luz, uma pequena nuvem branca desce até uma parede da já mencionada igreja, cujos sinos começam a bimbalhar fortemente e por si só. Prodígio ainda maior: em uníssono, a totalidade dos sinos da cidade tocam com energia.

Ao desfazerem-se lentamente os raios de luz e a nuvem, o belíssimo afresco que até hoje ali se encontra pôde ser contemplado pelo povo, e desde esse dia não cessou de derramar copiosas graças sensíveis, fazendo jus à preciosa invocação de Mãe do Bom Conselho.

A notícia de tão extraordinário acontecimento se espalhou por toda a Itália, como um corisco. Dois dias mais tarde, inicia-se uma verdadeira avalanche de milagres: um possesso se livra dos demônios, uma paralítico caminha com naturalidade, uma cega recupera as vistas, um jovem empregado recém-falecido ressuscita…. Nos cento e dez primeiros dias, Maria do Bom Conselho distribui cento e sessenta e um milagres aos seus fiéis devotos. Peregrinos de todo o país se movem para receber os benefícios da Mãe de Deus.

A maravilhosa história da Mãe do Bom Conselho (7).jpgDiante do santo afresco, uma constante se verifica: a nenhum dos pedidos que lhe são dirigidos deixa Ela de atender de alguma forma. Nas dúvidas, nas perplexidades ou mesmo nas provações, depois de um certo tempo de oração – maior ou menor, dependendo de cada caso – Maria Santíssima faz sentir no fundo da alma em dificuldade seu sapiencial e maternal conselho, acompanhado de mudanças de fisionomia e de coloração da pintura. É indescritível esse especialíssimo fenômeno.

Foi em Genazzano, aos pés do santo afresco da Mãe do Bom Conselho, que nasceram os Arautos do Evangelho. Ali, Ela os inspirou, orientou e fortaleceu. Por isso, a exemplo de tantos outros, os Arautos do Evangelho A consideram como sua padroeira. Ademais, por privilégio concedido pelo Santo Padre, João Paulo II, lucram no dia de sua festa, 26 de abril, uma indulgência plenária.

(in “Revista Arautos do Evangelho”, Abril/2002, n. 4, p. 24-25 e Abril/2004, n. 28, p. 16 a 18)

Conteúdo publicado em gaudiumpress.org, no link http://www.gaudiumpress.org/content/86826#ixzz4fJYi4E31

Posted in Sem categoria | Leave a comment

“DEUS QUER, PORTANTO, REVELAR E MANIFESTAR MARIA, A OBRA-PRIMA DE SUAS MÃOS”.

A Fraternidade Franciscana de Betânia recebeu a visita dos Arautos do Evangelho em sua comunidade. A Terciária, Sr.ª Patrícia Sampaio de Oliveira, fez uma tarde de reunião com o tema: “Por que se consagrar a Nossa Senhora?”

A Fraternidade Franciscana de Betânia

A Terciária em reunião com a Comunidade

O desejo ardente do grande missionário francês, São Luís Maria Grignion de Montfort, ao escrever a sua Obra luminosa – O Tratado da Verdadeira Devoção, método utilizado pelos Arautos – é de que mais e mais pessoas aderissem à Devoção preconizada por ele, ou seja, uma total entrega a Jesus Cristo, pelas mãos de Maria. Afinal, como menciona o Santo já no início de sua Obra: “Foi pela Santíssima Virgem Maria que Jesus Cristo veio ao mundo, e é também por Ela que deve reinar no mundo.

A Devoção à Santíssima Virgem

Através de “fatinhos”, foi demonstrado que Nossa Senhora é o amparo, a proteção, a advogada Nossa e que, portanto, com a Consagração, cada consagrado torna-se um escravo de Amor, afinal “quanto mais uma alma estiver consagrada a Maria, tanto mais estará consagrada a Jesus Cristo”, conforme declarou o grande missionário em sua obra.

Cada consagrado torna-se escravo por Amor

Instituto de Vida Consagrada de Direito Diocesano fundada pelo Pe. Pancrazio em 1982, a Fraternidade de Betânia é composta por irmãos clérigos, leigos e por irmãs que emitem votos públicos de castidade, de pobreza e de obediência. O carisma na Fraternidade é explicitado na oração, na Celebração Eucarística, na Adoração Eucarística, no acolhimento e na Santíssima Virgem Maria, de quem de forma perfeitamente harmoniosa é modelo.

“Nossa espiritualidade perpassa o âmbito do amor e da misericórdia de Deus”

“ Nosso carisma é acolher cada um que vem até nós como o próprio Cristo” .”

Um dos momentos marcantes ocorreu antes da reunião, quando um dos participantes questionou se, às vezes, Nossa Senhora nos abandona ou nós abandonamos a Ela. Imediatamente, a concepção foi corrigida pela Terciária: Nossa Senhora nunca se afasta, nunca se esquece de um filho! Pois, como declara o Arauto da Santíssima Virgem, São Bernardo de Claraval, “Nossa Senhora, não abandona nenhum de seus devotos”.

“Nossa Senhora nunca se afasta de um filho”

Ao final, o convívio foi marcado por um lanche oferecido pela comunidade. Durante esse momento, foi feito o sorteio de um dos volumes “O Inéditos sobre os Evangelhos” do Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP.

“O Inéditos sobre os Evangelhos”

Posted in Sem categoria | Leave a comment

A BÊNÇÃO DO FOGO NOVO NA VIGÍLIA PASCAL

No Sábado de Aleluia, ocorreu a Vigília Pascal. Iniciou-se com a Bênção do Fogo Novo (simbolizando o esplendor do Cristo Ressuscitado, dissipando as trevas do pecado e da morte) e do Círio Pascal (símbolo da Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo). O Sacerdote mencionava que toda a Igreja rememora a Ressurreição do Senhor, “Luz que veio ao mundo”, mas os homens, infelizmente, amaram mais as trevas à luz.

“Cristo é a Luz para cada cristão”, “quem me segue não andará nas trevas; pelo contrário, terá a luz da vida”, João 8:12. É “esta Luz que nos chama para grandes acontecimentos. E, para isso, é preciso ter uma fé vibrante, fé de Consagrados, guiados pelo amor à Nosso Senhor, pelas mãos de Maria, preparando-nos para a felicidade eterna”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Posted in Sem categoria | Leave a comment

SEMANA SANTA E O SIMPÓSIO NA SEDE DOS ARAUTOS DO EVANGELHO

Dias de bênção para os participantes

A Semana Santa, na Sede dos Arautos do Evangelho, ofereceu aos seus membros e simpatizantes a riqueza da Liturgia, que para estes dias a Igreja determina, elevando em cada um seu amor a Nosso Senhor. Todos os participantes presentes puderam notar a prodigalidade das bênçãos enviadas do Céu!

Quinta-feira do Lava Pés

Na Quinta-feira Santa, a Celebração da Santa Ceia do Senhor aconteceu na Igreja Nossa Senhora Aparecida e Santa Catarina de Sena, em Itinga. Nesta Solenidade rememora-se a Instituição da Eucaristia e do Sacerdócio Ministerial, com o gesto do lava pés. Estes atos revelam que o cristão deve ser humilde e se colocar sempre a serviços da Igreja e do próximo, assim como fez Nosso Senhor.

Pe. Tonelli, EP na Celebração da Santa Ceia

A Igreja celebra a Santa Ceia

Povo de fé!

Nesta tarde, na Sede dos Arautos do Evangelho, começou um Seminário realizado pelo irmão Kasuo, EP sobre o tema: “Os Fundadores”.

Simpósio sobre os “Fundadores dos Arautos do Evangelho”

Por que esta matéria? Um dos estudos sobre o assunto mostra como foram os Fundadores das diversas ordens religiosas, que vão sendo inspiradas pelo Espirito Santo no caminhar da Igreja, consolando Nosso Senhor no Horto das Oliveiras. Eles que atenderam o brado lancinante de “que utilidade tem o meu Sangue que Eu vou derramar?”, “Se, entretanto essa for a vossa Vontade, seja feita a vossa Vontade e não a minha”. Foi o início do que se pôde esperar de muitos dias de graças e conhecimentos.

Clima de oração

A Sexta-feira Santa iniciou em clima de orações, adoração junto ao Monumento e jejum. Em continuação do Simpósio, o Conferencista salientou sobre a importância de estarmos unidos, não somente no crescimento da fé, conhecendo a doutrina católica sobre os Fundadores, mas, sobretudo, da impor-tantíssima Celebração da Paixão de Cristo, onde Deus envia seu Filho unigênito como vítima de expiação por nossos pecados.

A Via Sacra reuniu todos os participantes para caminhar com Jesus no seu caminho rumo ao Calvário.

Na Celebração da Sexta-feira da Paixão, o Pe. Carlos Tonelli, EP pede a Nosso Senhor que seja a nossa fortaleza, e que nos conduza a uma caminhada rumo ao nosso Calvário, sempre protegidos com as bênçãos de Maria.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Posted in Sem categoria | Leave a comment

“DEUS QUER ESTABELECER NO MUNDO A DEVOÇÃO AO MEU IMACULADO CORAÇÃO”

A devoção do Primeiro Sábado do mês de abril, atendendo ao pedido de Nossa Senhora, em Fátima, para desagravar o seu Imaculado Coração ocorreu na Capela Nossa Senhora da Reconquista e São Domingos, na Sede dos Arautos, em Lauro de Freitas. A devoção iniciou com o Santo Terço.

A devoção do Primeiro Sábado

O Santo Terço

Em seguida, ocorreu a meditação sobre o Quarto Mistério Doloroso: Nosso Senhor Jesus Cristo carrega sua Cruz até o Monte Calvário. Proferida pela Terciária, Drª. Lizandra Colossi, realizou-se uma composição do lugar que Jesus seguiu do Pretório até a sua Crucifixão: ali, a humanidade condena Nosso Senhor até a morte.

A Meditação sobre o Mistério Doloroso

Jesus Cristo morre crucificado para nos redimir dos nossos pecados

Jesus, no seu infinito amor pela humanidade, carrega todas as nossas culpas e morre crucificado para nos redimir de nossos pecados. Nosso Senhor dizia a todos que, “Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me” (Lc 9:23). Temos um “grande pânico” para carregar a nossa cruz, pois somos tentados pelos prazeres e pelos valores contra Deus. Sem o fortalecimento da Fé, através das orações diárias, das Confissões e das participações nas Santas Missas, enfraquecemos em carregar a Cruz. “É pela cruz que chegamos a Luz” e o “sofrimento nos santifica”.

Por isso, possamos cheios do amor a Nosso Senhor, pelas Mãos de Nossa Senhora de Fátima, ter o arrependimento de todas as nossas faltas e pecados cometidos contra o Coração do Santíssimo Sacramento de Jesus e do Imaculado Coração de Maria, pedindo fé vibrante para nossa caminhada.

Pelas Mãos de Nossa Senhora de Fátima peçamos uma fé vibrante

Pe. Tonelli nos diz que devemos amar ao Nosso Senhor

Após a meditação, a Santa Missa foi celebrada pelo Pe. Calos Tonelli, EP. Em sua homilia, o Sacerdote nos alerta para que amemos de todo coração Nosso Senhor, tendo como modelo Nossa Senhora. Assim, devemos ter um amor sem limites ao seu Filho, na certeza que Nosso Senhor providenciará o que for melhor. Além disso, para as dificuldades e aflições que, porventura, possam acontecer em nossa caminhada, devemos ser infinitamente confiantes na Ressurreição de Jesus, no Seu amor contínuo para que, iluminados, sejamos guiados para a Tua verdade, encorajando-nos, cada vez mais, a carregar a cruz, pois nunca seremos abandonados e desamparados. “Espera no Senhor, anima-te, e Ele fortalecerá o teu coração” Sl 27:14.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Posted in Sem categoria | Leave a comment

JESUS MORTO E VIVO AO MESMO TEMPO – PROCISSÃO EM MADRID – ESPANHA

 

Uma procissão que emociona a todos que dela participa na Semana Santa de Madrid/Espanha é a do Senhor Morto. Esta se realiza no Mosteiro Real da Ordem das Clarissas Descalças.
Penetrar no interior do Mosteiro é sempre um privilégio espiritual. É um espaço que transmite arte, fé, piedade e todo imbuído do espírito de sua fundadora, Dona Joana de Áustria – viúva do príncipe Juan Manuel de Portugal – e das Irmãs Franciscanas que lá vivem. Este Patrimônio Nacional é um dos melhores exemplos do catolicismo no centro da cidade de Madrid, embalado pelo belo.
A escultura em madeira de Cristo jacente, de Gaspar Bezerra, escultor espanhol do século XVI, é levada em procissão na Sexta-feira Santa, desde sua Fundação em 1559.
É a única procissão no mundo realizada com Nosso Senhor Jesus Cristo Vivo e Morto, tudo ao mesmo tempo. A Imagem é transportada por mais de 30 anos pelos Arautos do Evangelho, em procissão, através do claustro, com o Santíssimo Sacramento exposto no Sacrário colocado no local onde o soldado enfiou a lança no coração de Jesus.
Os presentes aguardavam o aparecimento da imagem de Cristo. O momento forte é quando se juntam as imagens de Nosso Senhor Vivo e Morto com a das Sete Dores de Nossa Senhora.
O percorrido no claustro, decorado em suas paredes com tapetes de Rubens de motivos eucarísticos, é acompanhado por um motete do compositor Thomás Luis de Vitoria feito para esta ocasião. O auge da Cerimônia é quando o Celebrante retira a hóstia do costado do Senhor e abençoa solenemente a todos os fiéis presentes.

Cristo morto e vivo, aleluia!!!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foto: Don Eric Fco. Salas

Posted in Sem categoria | Leave a comment

CONVITE PARA O CURSO DE TEOLOGIA

Convite para a 4ª aula do Curso de Teologia, que acontecerá no dia 23/04/2017, às 14, com o tema: A existência de Deus: Razão e Fé (Revelação), na Capela Nossa Senhora da Reconquista e São Domingos, na Sede dos Arautos do Evangelho,  em Lauro de Freitas/Bahia.

Como chegar:  (ver mapa) – ao lado do Batalhão de Choque da PM

Posted in Sem categoria | Leave a comment

O PROJETO FUTURO E VIDA: DIA DE FÉ, ORAÇÃO E MOTIVAÇÃO PARA OS ALUNOS

O Projeto Futuro  e Vida com os Arautos do Evangelho visitou dois colégios no município de Lauro de Freitas: Alfabeto Mágico e Menino Jesus de Praga

O Colégio Alfabeto Mágico

Colégio Menino Jesus de Praga

O Projeto Futuro e Vida é uma iniciativa dos Arautos do Evangelho, com o objetivo de motivar o jovem  a desenvolver o gosto pelas artes musicais e ciências, através de um ensino vivo e rico em princípios, histórias e cidadania.

O Projeto é um ensino vivo e rico em ética, história e cidadania

O Projeto é uma opção pedagógica complementar de forma totalmente gratuita

A imagem de Nossa Senhora de Fátima foi recebida com grande calor nestes estabelecimentos de ensino pelos alunos católicos. Em seguida, a imagem peregrina foi Coroada pela Diretora, que sempre teve ao seu redor todo o corpo docente.

Coroação à Nossa Senhora pela diretora

O corpo docente

As professoras, em oração, aos pés da imagem de Nossa Senhora

Grande emoção foi quando os alunos, pouco a pouco, iam se aproximando da Mãe do Céu para fazer suas preces e pedidos.

A emoção dos alunos diante da imagem de Nossa Senhora

Ao final, todos receberam estampas de Nossa Senhora como lembrança deste memorável dia.

Distribuição das lembranças de Nossa Senhora para os alunos

Posted in Atividades com Jovens, Notícias | Leave a comment

O PROJETO FUTURO E VIDA

Em dois turnos (manha e tarde), a Escola Roselândia pôde receber a visita de Maria Santíssima, Senhora de Fátima. Foi grande a afluência dos alunos católicos para poder venerar Maria em seu 100º aniversário de sua aparição.

Todos queriam venerar a imagem de Nª Senhora

Os alunos em volta da imagem de Nossa Senhora

Muito atentos, estavam todos ouvindo a história dos três Pastorinhos de Fátima e as explicações de uma mensagem que correu o mundo.

Os alunos escutam as história sobre Nª Senhora

Depois da Coroação realizada pela diretora do estabelecimento de ensino, todos se aproximaram com grande devoção para deixar aos pés de Maria seus pedidos.

Coroação de Nossa Senhora

Os pedidos aos pés de Maria

De mãos dadas numa só oração, puderam agradecer a Nossa Senhora pelo dia abençoado na Escola Roselândia, com à visita da imagem de Nossa Senhora de Fátima.

Em oração, as atividades foram concluídas

Visita da imagem de Nossa Senhora e os Arautos do Evangelho

Posted in Sem categoria | Leave a comment

A CELEBRAÇÃO DE DOMINGOS DE RAMOS REÚNE CENTENAS DE FIÉIS NA COLÔMBIA

O Domingo de Ramos marca o início da Semana Santa, os fiéis relembram a entrada de Jesus Cristo na cidade de Jerusalém montado em um jumentinho (o símbolo da humildade), onde foi recebido como rei pelo povo que, poucos dias depois, exclamaria pela sua crucificação. É o período mais importante para o cristianismo. Na Colômbia a Celebração foi marcada pela emoção dos Católicos em saudar “Aquele que vem em nome do Senhor”.  Com os nossos corações preparados para Páscoa  devemos  renunciar tudo aquilo que nos distancia do Amor de Cristo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

Posted in Sem categoria | Leave a comment