SOLENIDADE DE SÃO JOSÉ

Na coorte dos Santos, o primeiro abaixo de Nossa Senhora. Ao lado de todas as glórias que se acumularam sobre ele, São José recebeu, já nesta Terra, um prêmio inestimável: é o patrono da boa morte

Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP

 Com efeito, dir-se-ia que ele teve um passamento de causar inveja, pois faleceu entre os braços de Nossa Senhora e os de Nosso Senhor, que o cercaram de todo o carinho e consolação na sua última hora. Não se pode imaginar morte mais perfeita, com Eles ali, fisicamente presentes. De um lado, Nosso Senhor cumulava seu pai adotivo de graças cada vez maiores, à medida que a alma de São José continuava a se santificar nos derradeiros transes da agonia. De outro, Nossa Senhora lhe sorria com respeito, e procurava aumentar-lhe a confiança:

— Meu esposo! Lembre-se de que tudo se cumprirá. Coragem! vamos para a frente!

Em determinado momento, São José exala o último suspiro, e o Limbo se abre para a alma dele. Ali ficaria ele até o instante, entre todos bendito, em que a alma santíssima de Jesus, que morrera crucificado, desceu ao encontro daqueles eleitos, a fim de colocar um jubiloso termo na sua grande espera. Alguns — Adão e Eva, por exemplo — lá se achavam desde os primórdios da humanidade, aguardando durante milênios o Redentor que os levaria para a eterna bem-aventurança.

E o Messias veio. Podemos bem imaginar que toda a coorte do Limbo se reuniu em torno de São José para receber o Salvador. E que Este, tão logo ali se mostrou, resplandecente de glória, tendo perdoado e redimido o gênero humano, manifestou-se de modo especial a São José, como que exclamando: “Oh! meu pai!”

Era o ápice do cumprimento de todas as promessas, a perfeita realização de um chamado que passou por indizíveis perplexidades e incomparáveis glórias. E São José, esposo de Maria Virgem, pai adotivo de Jesus, declarado Patrono da Igreja, ocupa no Céu um lugar tão eminente que recebe o culto de protodulia. Ou seja, abaixo de Nossa Senhora — a qual merece a devoção de hiperdulia — é ele o primeiro a ser venerado na extensa hierarquia dos Santos.

Grandiosa recompensa à qual fez jus esse varão que praticou em grau elevadíssimo a virtude da confiança.

Ele foi o esposo de Nossa Senhora, o pai adotivo do Menino Jesus. O esposo deve estar proporcionado à esposa. E sua esposa, Maria Santíssima, é de longe a mais perfeita de todos as criaturas, a obra-prima de Deus. Somando as virtude de todos os anjos, santos e os homens até o fim do mundo, não teremos sequer uma pálida ideia da sublime perfeição de Maria.

A missão de São José foi a de ser a imagem de Deus Pai aos olhos do próprio Filho de Deus, Jesus Cristo: por isso as Sagradas Escrituras o proclamam: José, o Justo.
A São José, podemos aplicar as mesmas palavras do próprio Espírito Santo a respeito do Rei David: “O Senhor procurou um homem segundo seu coração”. E este homem foi São José. Clique no vídeo abaixo.


Fontes: Apostolado do Oratório
Arautos do Evangelho
TV Arautos

This entry was posted in Artigos, Notícias, O Santo do dia, Orações, Peregrinação, Sem categoria, Vídeos. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *