O CANTO DO CISNE

Os que conhecem a mensagem que Nossa Senhora comunicou em Fátima certamente lembrarão as palavras de Nossa Senhora logo após descrever as catástrofes que ocorreriam caso a humanidade não se emendasse, atendendo as advertências d’Ela. São palavras de esperança: “Por fim o meu Imaculado Coração triunfarᔝ. Notemos bem: Nossa Senhora não disse “vencerᔝ, mas sim “triunfarᔝ. Triunfo é uma vitória absoluta, esplendorosa, total.

As considerações do Mons. João Clá Dias, Fundador dos Arautos do Evangelho transcritas a seguir abordam essa verdade consoladora, especialmente para os dias que vivemos.


FÁTIMA, A PROMESSA DO REINO DE MARIA

Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP

Conta uma antiga lenda que o cisne branco era mudo, mas, nos instantes que antecediam sua morte, emitia um belíssimo canto. E neste deitava todas as belezas que refletira na água e a formosura que esta lhe emprestara ao longo de sua existência. É sabido, desde épocas remotas, que tal lenda, apesar de poética, não condiz com a realidade. Todavia, atravessou ela os tempos, à  maneira de metáfora, para significar o encerramento de algo coroado de êxito. Como costumamos dizer no Brasil, ela simboliza o “fechar com chave de ouro”.

De certa forma, o Reino de Maria será como o “canto do cisne” da humanidade. Com efeito, podemos considerar o Reino de Maria como o ápice da História, quando o preciosí­ssimo Sangue de Cristo, derramado para nossa redenção, produzirá seus melhores frutos.

SÃO LU͍S MARIA GRIGNION DE MONTFORT E O REINO DE MARIA

Porém, por que um Reino de Nossa Senhora? Porque “foi por intermédio da Santí­ssima Virgem Maria que Jesus Cristo veio ao mundo, e é também por meio d’Ela que Ele deve reinar no mundo”, (1) ensina o grande mariólogo São Luí­s Maria Grignion de Montfort, em seu Tratado da verdadeira devoção à  Santí­ssima Virgem.

São Luí­s Grignion afirma, quando fala de um reinado temporal de Maria, é que Ela será, de fato, Rainha dos homens e exercerá sobre a humanidade um governo efetivo. Nessa época, diz ele, “as almas respirarão Maria, como os corpos respiram o ar”.(2) Será uma nova era histórica, na qual a graça habitará no coração da maioria dos homens, e estes serão dóceis à  ação do Espí­rito Santo, através da devoção a Maria: “Ocorrerão coisas maravilhosas neste mundo, onde o Espí­rito Santo, encontrando sua querida Esposa como que reproduzida nas almas, virá sobre elas abundantemente e as cumulará de seus dons, particularmente do dom de sabedoria, para operar as maravilhas da graça”.(3) Será um tempo feliz, um “século de Maria, no qual inúmeras almas escolhidas e obtidas do Altí­ssimo por meio d’Ela, perdendo-se a si mesmas no abismo de seu interior, se tornarão cópias vivas de Maria, para amar e glorificar Jesus Cristo”.(4)


Fonte: Arautos do Evangelho em Montes Claros

* Tí­tulo nosso. Trechos, com ligeira adaptação, da obra do Mons. João Scognamiglio Clá Dias, EP, “Por fim o meu Imaculado Coração Triunfarᔝ, Instituto Lumen Sapientiae, São Paulo, 2017, p. 115-117.

(1) SÃO LU͍S MARIA GRIGNION DE MONTFORT. Traité de la vraie dévotion à la Sainte Vierge, n.1. In: OEuvres Complétes. Paris: Du Seuil, 1966, p.487. No Brasil: “Tratado da verdadeira devoção à  Santíssima Virgem”, Ed. Vozes, Petrópolis, 46ª edição, 2015, nº 1, p. 19

(2) Idem, n.217, p.634.

(3) Idem, p.634-635.

(4) Idem, p.635.

This entry was posted in Artigos. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *