SANTOS DO DIA: SÃO COSME E SÃO DAMIÃO, MÁRTIRES

São Cosme e São Damião, ambos irmãos de sangue e na fé, são considerados os padroeiros dos médicos e dos farmacêuticos, isso por quê?

Como explicar o fato de que quando os dois irmãos, ao serem condenados tendo como pena de morte a lapidação, ou seja o apedrejamento, não morrerem devido ao milagre que as pedras se voltavam para aqueles que as jogavam? Ou então o que comentar, depois desse fato, sobre a maldade dos homens que, vendo tal milagre, decidem matá-los com flechadas e recebendo como castigo que as flechas lançadas sobre os dois santos se voltavam contra os que as lançavam? Mesmo assim os corações desses homens estavam mais duros do que as pedras lançadas com o intuito de matá-los…

Imaginemos andar o dia inteiro com uma pedra dentro do sapato, que a cada vez que pisamos no chão sentimos aquele incômodo que não nos deixa em paz. O mesmo se dá quando alguém virtuoso está na presença de más pessoas, as quais se sentem como que atormentadas constantemente por uma pedra no sapato, pois aquele que é verdadeiramente bom, diante do mal, toma logo uma posição de censura e fará tudo para reverter a situação. No caso de São Cosme e São Damião, a presença deles incomodava aqueles pagãos. Depois de várias tentativas frustradas de martirizá-los, foram obrigados a recorrer à espada para a decapitação, honra reservada só aos cidadãos romanos, pois eles eram da região da Síria. Assim, foram decapitados sobre as ordens do imperador Diocleciano.

Os dois mártires eram médicos e curavam não somente pessoas, mas até os animais. Ambos faziam isto apenas por caridade, não aceitando qualquer recompensa. Conta-se que, em uma das curas feitas por São Damião, este aceitou a contribuição financeira de uma mulher de nome Paládia, curada por ele. Isto provocou uma séria repreensão de seu irmão, São Cosme, ao ponto de dizer que não queria ser enterrado junto com o irmão que rompeu o compromisso de caridade. Após a morte de ambos, os cristãos decidiram enterrá-los separados, cumprindo a vontade de S. Cosme, porém, milagrosamente, um camelo assumiu a voz humana e bradou para unirem os irmãos, pois S. Damião, aceitando o modesto honorário oferecido por Paládia, fizera-o em nome da caridade para não humilhar a pobre senhora.

Rezemos a estes dois grandes santos e peçamos que nos curem também de toda enfermidade corporal, mas sobretudo das moléstias espirituais, as quais são muito mais graves que as físicas. As físicas fazem mal ao corpo, só que as espirituais fazem mal a alma, a qual permanece viva após a morte. Que nos deem a força de alma para enfrentarmos as dificuldades da vida presente e que, por sua intercessão, gozemos das alegrias eternas.


Fonte: Arautos do Evangelho Granja Viana

This entry was posted in O Santo do dia. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *