FESTA À SÃO RAIMUNDO: GRANDE DEVOTO DE NOSSA SENHORA E DA SAGRADA EUCARISTIA

No dia 31 de agosto, quinta-feira, foi celebrada Missa Solene em louvor a São Raimundo Nonato, na Igreja que o tem como Padroeiro, localizada na região central de Salvador.

A construção do Recolhimento de São Raimundo Nonato foi patrocinada por Raimundo Maciel Soares e iniciada em 1755, quando o Conde dos Arcos, Dom Marcos de Noronha, vice-rei do Estado do Brasil, lançou a pedra fundamental. Entretanto, Raimundo Soares faleceu em 1759, e sua obra foi continuada pelos frades de Santa Teresa. No dia 10 setembro de 1933, para marcar o Primeiro Congresso Eucarístico Nacional, em Salvador, o então Arcebispo de São Salvador da Bahia e Primaz do Brasil, Dom Augusto Álvaro da Silva, elevou a Igreja de São Raimundo à condição de Santuário de Exposição e Adoração Perpétua do Santíssimo Sacramento e seu altar foi proclamado como um Altar Votivo da Fé Eucarística Nacional. Atualmente, são 84 anos de Adoração Perpétua, administrado pelas irmãs da Congregação Nossa Senhora dos Humildes, que desenvolvem obras sociais e educacionais.

A santa Missa foi celebrada pelo Bispo Auxiliar de Salvador, Dom Estevam dos Santos Silva Filho e concelebrada pelo Frei Antônio de Jesus, da Ordem dos Frades Capuchinhos.  Além disso, contou com as participações do Coral dos Terciários dos Arautos do Evangelho, das Irmãs da Congregação Nossa Senhora dos Humildes e dos demais devotos deste grande Santo.

Em sua homilia, Dom Estevam ressaltou o fato do nascimento insólito de São Raimundo que, desde pequeno, tinha uma grande devoção a Nossa Senhora, além de ser, também, um grande devoto da Eucaristia. Nesse sentido, o Bispo conclamou a todos os presentes a reservarem uma hora por semana ou, ao menos, uma hora por mês para adorarem a Jesus Eucarístico naquela Igreja, para escutarem o que Nosso Senhor tem para dizer a cada um de nós. Quem assim o fizer, experimentará a solução dos seus problemas e achará mais tempo para realizarem seus afazeres. E convocava outros movimentos a realizarem adorações naquela Igreja.

Ao final, chamou todas as Irmãs da Congregação, encarregadas de manterem a Adoração, a se aproximarem do altar, onde foram homenageadas. Em seguida, pediu ao Coral que aprendessem o Hino Eucarístico de 1933 para, depois, ensinarem a todos os fiéis e, assim, reviverem a história de onde tudo começou.

Foi uma cerimônia de muita fé e entusiasmo, com as bênçãos de Nosso Senhor Jesus Cristo, de Nossa Senhora dos Humildes e de São Raimundo.

Após a Celebração Eucarística, as Irmãs, juntamente com alguns paroquianos, convidaram o Bispo e o Coral dos Cooperadores a partilharem de um lanche, símbolo de confraternização.

This entry was posted in Coral, Missas e Procissões. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *